sexta-feira, 24 de março de 2017

DESAFIOS DA AUTO LIDERANÇA



Atualmente, muitas pessoas fazem uma reflexão filosófica profunda, sobre questões existenciais e profissionais. Muitas vezes, essas pessoas sentem uma sensação difícil de explicar, não é angústia, nem ansiedade.
Apenas sentem que precisam mudar sua agenda existencial, sua rotina  - e até ficar à deriva, eventualmente, ou ligar o dane-se, por algum tempo, como dizem alguns argutos observadores.
Realmente, precisamos relaxar um  pouco e avaliar nossas conquistas com olhar distanciado, sem muita autocrítica ácida e exigente, como costumamos fazer, em relação a nós mesmos.
Com o passar do tempo, é necessário analisar como  percebemos a realidade, como vemos as coisas à nossa volta. Muitas vezes, não conseguimos entender a complexidade dos processos existenciais, nem explicar para nós mesmos, porque cada pessoa tem uma trajetória diferente e intensa. Mesmo que, aparentemente, seja uma pessoa que rotulamos como vazias, sem noção, sem futuro. Mas que, como nós, tem vinte e quatro horas à sua disposição.
  Os conflitos existenciais nos levam, cada vez mais, a exigir de nós mesmos, mais intensidade. E a nos cobrar mais sentido para a vida. Ainda que esse sentido seja focado em mais consumo de bens materiais, em mais conquistas, em mais realizações em mais reconhecimento, em mais admiração, em justificativas variadas para todas nossas decisões, ou omissões.
Na prática, o que a vida oferece são muitas oportunidades para realizar projetos pessoais, mas cobra definição de objetivos e planejamento de ações.  Custa caro, não deixar a vida nos levar e sim dirigir nossa caminhada rumo a objetivos, sonhos, desejos, realizações. Ser autônomo existencial é um grande desafio de  auto liderança.  Somente alguns conseguem.
Ouvimos muito pessoas instruídas falarem sobre liderança. E isso é importante, pois aprendemos bastante com os mais experientes e com os que estudam o assunto.
Mas – sempre existe um porém -, o que importa mesmo, é como percebemos a vida. 
A maioria das pessoas estuda e segue a trilha programada pelas instituições e pelas autoridades, quer sejam os pais,  o Estado, ou organizações sociais.
O conflito maior  está localizado precisamente na não aceitação de modelos pré-determinados, de scripts ultrapassados. E há um grande vazio existencial, um verdadeiro oceano de dúvidas à frente.
 Mas as oportunidades de construção de novas trilhas e pavimentação de caminhos inéditos também são imensas.
O problema está exatamente no requisito básico da auto liderança, que é ter autonomia e consciência de que nos momentos de tensão, de  mudanças de caminhos, é preciso visualizar o futuro e construí-lo passo a passo, com determinação e inteligência.
Há, portanto, um preço a ser pago. É preciso ouvir a consciência, a pulsão do coração e abrir os olhos para as oportunidades e fazer diferente, sem medo de errar, mesmo correndo risco de errar. A possibilidade de acertar é maior do que as alternativas negativas. Viver atualmente é tão desafiador como foi há séculos passados, mas hoje temos mais informação, mais tecnologias, mais inteligência aplicada, mais alternativas para escolher caminhos e fazer um percurso existencial inovador e completamente diferente dos outros. Lidere a si próprio!
Essa é a recomendação da vida para  todos nós.



Nenhum comentário:

Arquivo do blog